• Uma iniciativa, uma rede de professores.

    Um espaço digital, real. Para criar conteúdo e estabelecer diálogo. Para transformar.

  • Sobre a rede

    O convite, a proposta

    Nossa proposta é criar uma rede de troca de conteúdo e diálogo entre professores, demais profissionais da área da Educação e estudantes de licenciatura. Com esse público transformador reunido, a ideia, então, é facilitar o estabelecimento de parcerias e desenvolver estratégias de capacitação continuada! Tudo para que a gente se sinta menos só diante destes ambientes, por vezes, tão desafiadores e embrutecidos. Para que a gente reconheça nosso poder de transformação e se sinta valorizado!

    O que você encontrará aqui

    O site da rede é seu e de todos os professores transformadores que o quiserem pra si. Aqui você encontrará você e encontrará o outro, que te fará perceber que não está sozinho nessa luta por uma educação transformadora. Fique à vontade para contribuir com seus relatos de experiência, propor parcerias e pedir ajuda! Aproveite para ler os textos de nossos colunistas, que publicam diariamente, e também para acompanhar os relatos de nossas ações. Fique por perto!

    Nossas propostas de valor

    a) a criação de uma rede integradora de professores, estudantes e demais profissionais da área da Educação;

    b) o desenvolvimento de estratégias de capacitação continuada dos envolvidos;

    c) a facilitação do estabelecimento de parcerias entre os participantes para a criação de projetos educativos em espaços formais e não-formais.

  • Nosso livro

    Em 2016, publicamos uma coletânea com os textos produzidos por nossos colunistas no primeiro ano da rede.

  • Nossas ações

    Conheça um pouco mais sobre o que temos feito para estar cada vez mais perto 

    de professores transformadores, como a gente!

  • Colunistas

    Conheça melhor nossos colunistas: professores transformadores, desses que melhoram mesmo o mundo!

    Elô Lebourg

    Idealizadora e coordenadora da rede Professores transformadores. Mestra em Educação na Universidade Federal de Ouro Preto, é formada em História também pela UFOP e pós-graduada em História do Brasil e em História Moderna na Universidade Federal Fluminense. É professora substituta do curso de graduação em Pedagogia da UFOP, atua como professora-tutora do curso de graduação em Pedagogia do CEAD/UFOP e é revisora de textos e livros. Tem experiência com História Oral e projetos de educação patrimonial. Desenvolve pesquisas nas áreas de juventude, Ensino Médio e projetos de futuro. Mora em Ouro Preto-MG e publica seus textos às segundas, quinzenalmente.

    Fabiano Cachamorra

    Mestre em Filosofia, graduado em Ciências Sociais e especialista em Tecnologia da Educação. É professor na rede estadual do Rio de Janeiro e trabalha na coordenação do PVP-IFHEP, um pré-vestibular popular da zona oeste do Rio. Durante sua experiência como professor do sistema socioeducativo, descobriu a Educação Amorosa, uma forma de aprendizagem horizontal, apoiada na escuta ativa e em um movimento libertário de quebrar as amarras entre educador e educando, que foca no amadurecimento da autogestão em sala de aula. Mora no Rio de Janeiro-RJ e publica seus textos às segundas-feiras, quinzenalmente.

    Magno Andrade

    Graduado em Letras – Licenciatura em Língua Portuguesa – pela Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais. Atuou como professor de Português na Educação de Jovens e Adultos, vinculada à Escola de Aplicação da UFMG, onde desenvolveu as habilidades específicas para lidar com esse público. Atualmente, trabalha com a capacitação de jovens e adolescentes para a escrita na modalidade padrão da língua. Mora em Belo Horizonte-MG e publica seus textos às terças, quinzenalmente.

    Michelle Ristow

    Licenciada em Pedagogia pela Faculdade Integrada de Ciências Humanas, Saúde e Educação de Guarulhos (SP). Interessada por diálogos que promovam a discussão de uma educação com significado. Participou da 1ª edição do percurso Semente São Paulo, investigando as novas construções sociais de aprendizagem, a descolonização do pensamento e a comunicação não violenta. Adentrou no percurso Raízes com Gandhy Piorski, se aprofundando no tema “O imaginário, a criança e a vida material”. Professora do Ensino Fundamental da escola Wish School – uma das 178 instituições do Brasil reconhecidas, pelo MEC, como inovadoras e criativas, e uma das 10 escolas reconhecidas no mundo por seu projeto inovador. Mora em Guarulhos-SP e publica seus textos às terças, quinzenalmente.

    Maisa de Freitas

    Licenciada em Geografia pela Universidade Federal de Viçosa e mestre em Educação pela Universidade Federal de Ouro Preto. Atuou na linha de pesquisa “Diversidade, inclusão e práticas educativas” com ênfase em novos letramentos e tecnologias digitais. Atualmente, é professora de Educação Básica da rede pública de ensino no Anos Finais do Ensino Fundamental. Mora em Mariana-MG e publica seus textos às quartas, quinzenalmente.

    Níblia Soares

    Pedagoga pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), especialista em Psicopedagogia Clínica com ênfase em Neuroaprendizagem pela UNI-BH e em Psicanálise com Criança e Adolescente pela PUC-MG. Estudante de Neurociência e Neuropsicologia. Professora no Ensino Fundamental. Consultora e palestrante na área de Educação. Premiada com a certificação “Pessoa de Expressão por Boas Práticas em Educação”, pela União Europeia – Projeto Erasmus. Mora em Belo Horizonte-MG e publica seus textos às quintas-feiras, quinzenalmente.

    Maura Britto

    Mestre em História pela Universidade Federal de Ouro Preto. Atua na rede pública na Educação Básica (Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio) e leciona na Graduação em Geografia do CEAD/UFOP. Pesquisa temas ligados ao mundo do trabalho escravo e liberto nas Minas Gerais oitocentista. Desenvolve, em sua prática docente, atividades ligadas à valorização da cultura negra, diversidade cultural e educação patrimonial. Mora em Ouro Preto-MG e publica seus textos às quintas, quinzenalmente.

    Maria Alzira Leite

    Possui pós-doutorado em Linguística Aplicada pela UNICAMP, doutorado e mestrado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC MINAS e, ainda, especialização em Psicopedagogia na mesma instituição. A sua experiência contempla temáticas, práticas e conteúdos que giram em torno da formação docente; discursos de/sobre professores. Desenvolve também pesquisas na área da Educação, Psicologia Social e Análise do Discurso. Mora em Porto Alegre-RS e publica seus textos às sextas, quinzenalmente.

    Vivi Vieira

    Licenciada em Pedagogia pela Universidade do Vale do Paraíba, e especialista em Psicopedagogia Escolar pela mesma universidade. Atuou em escolas que buscam uma educação mais libertária e democrática. Atualmente, coordena uma escola de iniciativa coletiva, sem fins lucrativos, que visa favorecer o protagonismo das famílias e seus educandos. Mora em São Jose dos Campos-SP e publica seus textos às sextas, quinzenalmente.

  • Nossos textos

    Nossos colunistas preparam, com carinho e conhecimento, textos sobre educação reflexiva e transformadora!

    É PRECISO FORTALECER A PRÁXIS O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem. Guimarães Rosa Olhando para trás, analisando o caminho percorrido em 2018, percebo muitas indagações a serem...
    No mês de novembro, discute-se a questão da consciência negra em todo o Brasil. E a escola, como espaço de construção de conhecimento e de convívio social, não pode ficar de fora. Mas, antes de relatar sobre a atividade que desenvolvi com meus alunos, gostaria de comentar alguns aspectos sobre o...
    Entre a escrita de relatos e evidências dos meus estudantes e as inúmeras folhas de caderno com anotações, rabiscos e desenhos sobre eles, feitos por mim e espalhadas em cima da minha mesa, me despeço de um momento de reflexão para entrar em outro. O ano de 2018 foi a serviço de quem e para...
    – Você está se sentindo bem? Não, ele não estava. Naquela noite, meu aluno chegou cedo à sala, sentou-se e respirou como se tivesse dado um curto suspiro. Observei a cena, que se repetiu algumas vezes, e foi aí que perguntei se ele estava passando bem. O rapaz, então, deu vazão a algo que me...
    A sala de aula é um espaço de grandes conflitos das relações de poder ali existentes entre alunos e professores. Nem sempre é fácil trabalhar dentro da dinâmica das carteiras enfileiradas, da lousa e do pincel e com o professor à frente explanando sobre um conteúdo para uma turma com muitos...
    More Posts
  • Nosso conselho

    Conheça as professoras que atuam no conselho da rede e que colaboram para fazer com que nosso trabalho funcione ainda melhor!

    Cristiene Carvalho

    Doutora e mestra em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais, licenciada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto, e pedagoga pela Uniube. Trabalhou em instituições de Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio e Superior, onde ministrou disciplinas de Arte, Elaboração de TCC e Educação do Campo. Também atuou como técnica de nível superior em Arte Educação em um centro cultural público de Belo Horizonte. Vem atuando na elaboração de material didático de formação inicial e continuada de professores que atuam em escolas do campo e também na revisão de livros didáticos de Arte. Desenvolve pesquisas na área de ensino de Arte, Educação do Campo, formação de professores, prática docente, representações sociais e Educação a Distância. Foi colunista dos Professores transformadores (2017) e é conselheira da rede desde o início de 2018. Mora em Melbourne, na Austrália.

    Valdete Fernandes

    Professora de Educação Infantil, graduada em História e em Pedagogia, mestra em Educação. Pesquisa valorização docente em narrativas dos professores dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Foi colunista dos Professores transformadores (2015), é uma das autoras do livro Nós, professores transformadores: olhares sobre protagonismo e valorização docente (2016), e atua como conselheira da rede desde o início de 2018. Mora em Mariana-MG.

    Luiz Ribeiro

    Doutor em Educação e mestre em Promoção de saúde e prevenção da violência, ambos pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Atua como professor na UFMG, na Faculdade de Educação. Interessa-se pelas temáticas Psicologia Social e Educação, representações sociais, violência, gênero e campesinato. Foi colunista dos Professores transformadores (2017) e atua como conselheiro da rede desde o início de 2018. Mora em Belo Horizonte-MG.

    Maisa de Freitas

    Licenciada em Geografia pela Universidade Federal de Viçosa e mestre em Educação pela Universidade Federal de Ouro Preto. Atuou na linha de pesquisa “Diversidade, inclusão e práticas educativas” com ênfase em novos letramentos e tecnologias digitais. Atualmente, é professora de Educação Básica da rede pública de ensino nos Anos Finais do Ensino Fundamental. É colunista dos Professores transformadores (2018) e é conselheira da rede desde o final de 2018. Mora em Mariana-MG.

    Maura Britto

    Mestre em História pela Universidade Federal de Ouro Preto. Atua na rede pública na Educação Básica (Anos Finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio). Desenvolve trabalhos com História Oral e regional, sempre buscando estimular a relação de pertencimento dos alunos com o local em que vivem e com suas origens. Valoriza a construção de uma relação de afeto em sua perspectiva de trabalho em sala de aula. Pesquisa temas ligados ao mundo do trabalho escravo e liberto nas Minas Gerais oitocentista. Desenvolve, em sua prática docente, atividades ligadas à valorização da cultura negra, à diversidade cultural e à educação patrimonial. É colunista dos Professores transformadores (2018) e é conselheira da rede desde o final de 2018. Mora em Ouro Preto-MG.

  • A coordenadora da rede

    Elodia Honse Lebourg

    Eu sou a Elô Lebourg, idealizadora do Professores transformadores. Entre tantas coisas, sou historiadora e mestra em Educação (estudei juventude e Ensino Médio). Sou uma professora transformadora também. Descobri isso durante minha incrível jornada no projeto Lavras Novas: nosso patrimônio! Durante três anos, eu e a meninada de Lavras Novas vivemos experiências educativas (e afetivas!) incríveis. Mas não foi nada fácil, confesso. À frente daquela iniciativa, eu me sentia meio só e acabei percebendo que sentia falta de ter outros professores (transformadores!) por perto. Daí surgiu a ideia de criar essa rede. Uma ideia simples e bonita. Pra achar no outro o que falta em mim. Pra oferecer ao outro o que tenho de sobra. Pra gente se encontrar e ir, devagarinho, transformando a Educação, melhorando o mundo.

All Posts
×